quinta-feira, 27 de setembro de 2012

Relatório: Implantação da Incubadora de Empreendimentos Solidários



Incubadora de Empreendimentos Solidários de São Bernardo do Campo

 Vídeo do lançamento 



Processo de Preparação dos Professores/Pesquisadores
Com a finalização do Momento III do Processo de Preparação dos Professores e Pesquisadores do Projeto de Implantação da Incubadora de Empreendimentos Solidários de São Bernardo do Campo, apresento a síntese dos pontos considerados mais relevantes.
1. Em primeiro lugar destaca-se o fato de que este empreendimento solidário é resultado de um esforço inédito no Brasil, podendo servir de modelo para a implantação de outros empreendimentos solidários nos demais países da América Latina e em outros lugares do mundo onde os índices de vulnerabilidade ou desvantagem sejam elevados. A meu ver, um dos aspectos mais significativos deste fato é a ação motriz que uma motivação como esta pode produzir em meio àqueles que estarão envolvidos neste projeto, alimentando e retroalimentando o processo de implantação, desenvolvimento e contínua melhoria de resultados.
2. Em segundo lugar destaca-se o fato de que todo projeto solidário terá que enfrentar, a partir de determinado momento, as exigências de uma economia de mercado pouco ou nada sustentável e altamente concorrente que modela a atual sociedade de consumo e define seus parâmetros socioculturais. Neste sentido é necessário evitar o erro que muitos empreendimentos solidários cometem ao tender à dissociação da cultura capitalista, firmemente caracterizada e estabelecida, produzindo incompatibilidades mercantis e financeiras dentro do sistema vigente ao seu próprio desfavor. Uma incompatibilidade assim caracterizada resulta em um dos maiores desafios a serem superados durante todo o processo de gerenciamento da incubadora de empreendimentos solidários.
3. Em terceiro lugar destaca-se o fato de que não existe uma receita pronta para o desenvolvimento da economia sustentável na sociedade atual. As pessoas estão sendo chamadas a pensarem juntas, contribuindo a partir de suas áreas de especialidade, a fim de se encontrar meios pelos quais uma nova forma de gerir ações para a sustentabilidade assuma modelos plausíveis e mensuráveis na realidade vigente. A partir deste aspecto torna-se imprescindível criarem-se redes de parcerias que tenham contribuições relevantes a serem feitas nesse efetivo, inicialmente contatando atores que já tem sinalizado seu apoio e colaboração, seja em âmbito nacional ou internacional, traduzindo-lhes a evidência de que a incubadora é um empreendimento de todos os construtores que, juntos, buscarão continuamente o bem-estar e a segurança das populações em situação de vulnerabilidade e desvantagem que configuram importante parcela da nossa sociedade e expõe toda sua injustiça.

Márcio Monteiro Rocha
Bacharel em Teologia
Faculdade de Teologia da Igreja Metodista


Nenhum comentário: