sábado, 7 de junho de 2014

FUNAI - BBC News: Ameaça aos Awá-Guajá


Awá-Guajá
O Povo Mais Ameaçado do Mundo

Os Awá têm sido vítimas constantes de invasão de seu território por pecuaristas, agricultores e madeireiros,7 com quem entram em conflitos violentos8 9 .10
Em 2012, a organização Survival International classificou a tribo como a mais ameaçada do mundo.11




"A situação da etnia é de vulnerabilidade extrema. É o processo mais próximo do que se pode chamar de genocídio, hoje, no Brasil", segundo o indigenista Carlos Travassos.5
Antes do contato com os brancos, os Awá eram mais de mil. Segundo Sarah Shenker, ativista da Survival Internacional, que há 40 anos acompanha a situação dos indígenas no Brasil, com atenção especial aos Awá, "quando a ferrovia atravessou a terra dos Awá, muitos não indígenas massacraram famílias inteiras. Outros morreram de doenças que não existiam quando viviam isolados".12
Em 1992, a terra dos Awá foi declarada de posse permanente desse grupo indígena, tendo sido homologada por decreto do presidente Lula em 2005. Foram movidas ações judiciais por proprietários rurais, que foram derrotados. O prazo para desintrusão da área (a retirada dos não índios) já venceu. Cabe agora ao governo federal enviar forças policiais à região para garantir o cumprimento da ordem judicial e fazer com que a terra seja entregue aos cerca de 400 Awá que vivem lá. Os ruralistas têm se mobilizado intensamente contra a demarcação de terras indígenas e, em agosto de 2013, levaram à Comissão da Amazônia da Câmara dos Deputados dezenas de pequenos produtores uniformizados de camisetas amarelas com a frase: "Diga não à demarcação da suposta terra indígena Awá-Guajá". Recrutados nas cidades de Zé Doca e São João do Caru, eles viajaram três dias de ônibus até Brasília para participar de uma audiência pública dominada por parlamentares ruralistas.13
Em 2013, cerca de 700 não índios habitavam ilegalmente as terras dos indígenas 12 Em janeiro de 2014, os ocupantes ilegais já eram 1200, quando o governo brasileiro iniciou a desintrusão da Terra Indígena Awá-Guajá.14 Trata-se de uma das maiores operações dessa natureza já empreendidas. A área de 116 mil hectares, destinada aos Awá desde 1992, está localizada no noroeste do Maranhão, entre os municípios de Centro Novo do Maranhão, Governador Newton Bello, São João do Caru e Zé Doca, na região Noroeste do Maranhão. A partir de 3 de janeiro, o Exército participa somente com a montagem da base principal, em São João do Caru, que dará apoio logístico aos órgão governamentais responsáveis por executar a desintrusão - ou seja, a retirada de não índios da área. Ali, atividades ilegais, como a extração de madeira,15 já consumiram mais de 40% da cobertura florestal. Os pequenos agricultores que ocupam as terras e que se enquadrarem nos critérios do Plano Nacional de Reforma Agrária serão reassentados pelo governo federal.16 17 18 19




Ajude a Construir o Futuro Que Nós Queremos!