segunda-feira, 30 de junho de 2014

Missão: Você queria falar... E está falando...


Você queria falar...
E está falando...


Paulo Fernando de Moura e Sari Brown
08 de junho de 2014

O Sr. Paulo Fernando de Moura* morou nas ruas do largo Rudge Ramos por muitos anos. Ele sempre compartilhou conosco o anseio de querer falar para as instituições de São Bernardo do Campo, principalmente para as universidades, sobre as condições de vida da população em situação de rua.
Alguns estudantes universitários já haviam procurado e conversado com ele a respeito do “viver em situação de rua”, mas ele nunca conseguiu falar o que realmente desejava e o que considerava necessário ser falado. 
Ele esperava uma oportunidade para que pudesse ser ouvido acerca das privações e necessidades que o povo em situação de rua passa no seu cotidiano e o que leva muitas pessoas a viver assim. 



Em seu desabafo disse que muitas vezes são tratados pela sociedade como pessoas que não tem dignidade, lixo que o mundo despreza. De acordo com ele parte desse desprezo vem de pessoas que estão dentro das Igrejas, "cristãos que se consideram seres humanos especiais, muito espirituais, que não fazem parte desse mundo ao contrário de nós" que, segundo eles, “têm espíritos ruins”. 
Isto fazia com que o Sr. Paulo não pudesse acreditar na Bíblia. “Eu tenho dignidade sim”, dizia ele em seus comentários “como todos aqui também têm. Só estamos passando por momentos difíceis. Este sistema nos deixou assim e se esqueceu de nós”.
O Sr. Paulo era uma pessoa de bom humor e bom coração, compartilhava com os colegas tudo o que ganhava: roupas, calçados, alimentos, tudo. Sempre era agradecido às pessoas que lhe davam valor. Nunca esquecia de ninguém.
Era amigo, companheiro, leal, simples, humilde. Tinha um jeito especial de liderar o seu grupo. Sempre que ele falava as pessoas acatavam suas ideias, era um filósofo do povo, muitas vezes impaciente com a injustiça praticada contra eles.
Ele queria apenas falar e ser ouvido. Reclamava quando as pessoas o ignoravam, concluindo que, aquilo que pensava, também não tinha relevância para a sociedade.
O Sr. Paulo foi um aluno muito participativo na Escola Bíblica Dominical da Praça São João Batista em Rudge Ramos e incentivava os colegas a participar também. Gostava de cantar a música “Como Zaqueu” e “Ressuscita-me”.
Ele sempre foi muito agradecido pelos estudos bíblicos, pela atenção dada a eles e pela dedicação dos voluntários na “Missão Rudge Ramos”. Chegou o momento em que ele me disse - “Eu entendi, irmã Renilda, eu entendi. Agora eu creio na Palavra de Deus, agora eu sei que a Bíblia é a Palavra de Deus.”



* O Sr. Paulo faleceu neste sábado, 29 de junho 2014, logo após a partida do jogo da Copa do Mundo entre Brasil e Chile, vítima de atropelamento por ônibus coletivo há poucos metros da Praça São João Batista, em Rudge Ramos, onde viveu boa parte de sua vida. 


 Ele apenas queria falar... E está falando...

Projeto Luz e Vida: Missão Rudge Ramos 
 


Direção / Texto: Renilda Santos
Edição / Imagens: Márcio Monteiro Rocha
Projeto Luz e Vida: Missão Amazônia



Participe deste Projeto!
Alude a Construir o Futuro Que Nós Queremos!


2 comentários:

ANA PAULA disse...

MISSÃO CUMPRIDA PAI.......SAUDADES ETERNAS.....

ANA PAULA disse...

OLA...MEU NOME É ANA PAULA RESISDENTE EM BICAS MINAS GERAIS .....FILHA DE PAULO FERNANDO DE MOURA.....MEU PAI DEIXOU UMA HISTÓRIA AI .......LEMBRANÇAS AQUI.......SAUDADES SEM FIM.....GOSTARI QUE SOUBESSEM QUE A VIVENCIA DELE AI FOI EXCLUSIVAMENTE VONTDE DELE.....MUITAS VEZES DESLIGUEI O TELEFONE E CHOREI PORQUE ELE ME DIZIA "EU SEI A HORA DE IR EMBORA"...ELE VIVEU ATÉ O FIM E FOI FELIZ AI.....SÓ ALGO A CORRIGIR..ELE NAO FOI UM MORADOR DE RUA MAIS SIM UM TOMADOR DE CONTA DA PRAÇA DO RUDGE RAMOS....OBRIGADA A TODOS PELO CARINHO E CUIDAO QUE SEMPRE TIVERAM COM ELE.ELE SEMPRE TEVE SIM "DIGNIDADE"...FOI DIGNO AO DAR SEU SOBRENOME A MIM E AO FERNANDO.....DIGNO AO VIAJAR QUASE 10 HORAS PARA ME CONDUZIR AO ALTAR.....MAIS UMA VEZ MUITO OBRIGADA