domingo, 12 de junho de 2016

Que importa? O menino está morto!


Que Importa? O Menino está Morto!
Criança Morre de Hipotermia no Rudge Ramos

“Um menino de seis anos morreu de hipotermia na Avenida Doutor Rudge Ramos, em São Bernardo do Campo. O menino era filho do morador de rua, que se identificou como “senhor Pedro”, e relatou o caso aos munícipes que seguem pelos cantos da cidade entregando pão, leite, sopa e cobertores em combate ao frio, que deve chegar aos 4ºC até terça-feira.” (TV Bernô)





Rudge Ramos, o velho “Bairro dos Meninos”, do “Clube dos Meninos”, da “Praça dos Meninos” e do “Rio dos Meninos”, não gosta dos meninos do bairro.

A TV Bernô, única a noticiar, mesmo com informações escassas, no dia 10 de junho de 2016, a morte por hipotermia de um menino de seis anos em situação de rua no bairro Rudge Ramos, em São Bernardo do Campo - SP, possui atualmente, em sua grade interativa, quatro programas orientados ao entretenimento informativo: o programa “Bem Passado”, direcionado ao público interessado na história do Brasil e da região do Grande ABC; o programa “Bernô Entrevista”, orientado às pessoas interessadas na vida de personalidades cotidianas da cidade; o programa “Jornal Bernô”, que procura apresentar as principais notícias de São Bernardo do Campo, e o programa “Quarto Poder”, dedicado à discutir o quadro político da região do ABC.
Na TV Bernô, as notícias dividem-se em sete sessões: “Cotidiano”, “Saúde”, “Esportes”, “Mundo”, “Economia”, “Política” e “Brasil”. Conta também com uma sessão de informações sobre a “Situação do Trânsito”, com câmeras instaladas na cidade e nas praias, “Dicas” e “Previsão do Tempo”. No entanto, não existe qualquer programa, quadro ou sessão que trate da questão da criança e do adolescente ou da população em situação de rua que vive na cidade de São Bernardo do Campo. Um verdadeiro disparate da TV Bernô, tendo à sua disposição todo o suporte de difusão da informação, demonstrando ser um meio intermediário de expressão e de comunicação social de massa capaz de transmitir mensagens e notícias. Mas, que importa? O menino está morto.
Desta forma, a TV Bernô faz-se tão inepta e irresponsável quanto a maior parte da mídia nacional, estando também comprometida, única e exclusivamente, com os interesses desenvolvimentistas de um sistema econômico financeiro amplamente injusto e caracterizado pelo cinismo, sadismo, crueldade, insustentabilidade dos interesses partidários, difusos, escusos e estratificadores de uma sociedade igualmente inepta e irresponsável no trato com a coisa pública.
O que uma criança de seis anos de idade fazia no poder de um pai, cuja condição de vulnerabilidade e desvantagem os mantinha em situação de rua? Onde estão os agentes do Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente? Onde estão os agentes do Conselho Tutelar? Onde estão os agentes da Secretaria de Desenvolvimento Social e Cidadania? Certamente debaixo de seus grossos cobertores, mas a TV Bernô não precisa atentar para isto, pois tem programas mais interessantes com os quais se ocupar. E que importa? O menino está morto.
A maior parte dos moradores do bairro Rudge Ramos pertence a uma classe social privilegiada. Ao lado dos bairros Anchieta, Assunção e Nova Petrópolis, o Rudge Ramos é considerado um dos melhores bairros para se viver na cidade de São Bernardo do Campo. Possui estrutura, infraestrutura, policiamento, serviço médico, igrejas, universidades e um público alvo seleto e muito atraente aos interesses de seu diversificado centro comercial. Mas onde está a dignidade que deveria falar pela posição social destas pessoas? Onde foi parar o ser humano que havia nelas? Elas parecem vivas, mas são moribundas. Tornaram-se cegas, surdas, mudas. Que importa? O menino está morto.
A Igreja Católica Romana está presente no bairro Rudge Ramos desde 1891, isto é, há mais de cento e vinte e cinco anos. A soma de seus membros compõe um grupo religioso no bairro formado por dezenas de milhares de fiéis. É tradicionalmente conhecida por suas festas juninas à base de pinhão e de quentão, pela realização de grandes casamentos e por suas missas dominicais. Mas qual o objetivo de sua presença? Qual sua função social? Encher os templos com a gordura de famílias abastadas do empresariado procrastinador tal qual seus sacerdotes? Que importa? O menino está morto.
A Universidade Metodista de São Paulo está presente no bairro Rudge Ramos desde 1938, isto é, há quase oitenta anos. Juntamente com a UNIBAN e outras unidades e modalidades de ensino, soma um corpo docente e discente no bairro Rudge Ramos composto por dezenas de milhares de universitários ligados cotidianamente ao universo acadêmico, sendo treinados e provados em quase todas as áreas do conhecimento humano. Para que serve todo este arsenal? O que dizer, senão apenas para a construção de capacitações destinadas à satisfação de seus próprios sonhos de consumo? Onde estão os cidadãos e cidadãs de ontem? Onde estão os cidadãos e cidadãs de amanhã? Que importa? O menino está morto.
E o que dizer das Igrejas chamadas evangélicas do bairro Rudge Ramos? Onde estão os batistas, os presbiterianos, os metodistas? Quando é que vão terminar o trabalho de recolhimento dos dízimos e das ofertas? Quando é que irão concluir seus planejamentos missionários? O que dizer das chamadas igrejas pentecostais e neopentecostais? Onde estão os universais, os mundiais, os malafaianos, os assembleianos, e os veneráveis da maçonaria do bairro Rudge Ramos e regiões circunvizinhas? Certamente ocupados com o irmão Eduardo Cunha. Até quando gastarão a vida negociando libertação, prosperidade e bênçãos com o povo? Que importa? O menino está morto.
Como olhar para as dezenas de organizações sociais, associações, centros, grupos de apoio e todo o voluntariado atuante nos trabalhos sociais realizados cotidianamente no bairro Rudge Ramos em favor da população em situação de rua? O que dizer dos terreiros? O que dizer da umbanda, da quimbanda e do candomblé? O que dizer do espiritismo kardecista e de todos os demais espiritismos brasileiros presentes no bairro Rudge Ramos? Pela falta de roupas adequadas, ou de mais um ou dois cobertores, um menino de seis anos morreu de frio numa das vias de maior fluxo do bairro.
O frio intenso não foi a causa única na morte do menino. Esta morte foi causada por uma série de grandes e vergonhosas omissões. Ela corrobora na demonstração da hipocrisia dos falsos cristãos que vivem no bairro Rudge Ramos. Ela contribui para o desmascaramento da religiosidade fraudulenta dos administradores da fé e das falsas religiões. Ela denuncia a corrupção e a incompetência dos setores público e privado no tocante à responsabilidade social e administrativa do município de São Bernardo do Campo e do bairro Rudge Ramos. Ela produz um alerta gritante para as pessoas que, inadvertidamente, procuram demonstrar bom caráter na prática do bem e na ação social solidária, não atentando para o fato de que suas ações são tentativas de autoafirmação e, portanto, verdadeiras assassinas de inocentes. Mas, que importa? O menino está morto.

 Participe deste Projeto
Ajude a Construir o Futuro que nós Queremos!