quarta-feira, 6 de junho de 2018

Infanticídio Indígena: O Resgate de um Bebê Kamayurá


Infanticídio Indígena
O Resgate de um Bebê Kamayurá
  
A Polícia Militar de Canarana (838 km de Cuiabá) resgatou na noite de 05 de maio de 2018 um bebê recém-nascido da etnia Kamayurá que havia sido enterrado vivo pela própria bisavó, supostamente com o consentimento da mãe.
Segundo o boletim de ocorrência, o episódio aconteceu por volta das 16h e a criança foi resgatada com vida por volta das 21h, após uma denúncia anônima.

Vídeo divulgado pela polícia mostra o momento da ação para retirar a menina Kamayurá debaixo da terra

A menina foi encaminhada ao Hospital Regional de Água Boa – cidade mais próxima – e seu quadro de saúde é considerado estável. Ela foi diagnosticada apenas com insuficiência respiratória.
A reportagem do MidiaNews conseguiu conversar com um dos policiais militares que participaram do resgate, o major João Paulo Bezerra. Ele descreveu o resultado da ação como “um milagre”.
Segundo ele, a equipe chegou ao local do fato por volta das 20h, em razão de uma denúncia anônima.  A bisavó, que é indígena da etnia Kamayurá, confirmou ter enterrado o bebê, mas alegou que a menina havia nascido prematura e morta.
“Foi um milagre para todos nós policiais que estávamos lá. Todos ficaram estarrecidos na hora. Nós acreditávamos que a criança estava morta, até pelo tempo que havia se passado. Então acionamos a Polícia Civil e, depois que a avó confirmou que havia enterrado a criança no fundo da residência, nós começamos a cavar”, disse.
Segundo o Major, o grupo começou a cavar com mais força após o primeiro sinal de vida da criança, para tentar socorrê-la o mais rápido possível.
“Começamos a cavar onde a bisavó apontou e, para nossa surpresa, ouvimos o choro da criança e continuamos a cavar mais rápido para retirar a criança e levá-la diretamente ao hospital”, contou.
Participaram do resgate, além do Major João Paulo, os sargentos Oliveira e Fernandes, o soldado Henrique e mais dois investigadores da Polícia Civil.
A bisavó da criança foi presa e a mãe, que tem 15 anos, apreendida. Ambas foram encaminhadas à delegacia de Polícia Civil.

------------------------

Atualização Globo.com - 11/06/2018
Por Denise Soares - Portal G1- MT

Avó e a bisavó da índia recém-nascida – que foi resgatada depois de ser enterrada viva pela família dela em Canarana, a 838 km de Cuiabá –, não aceitavam a criança pelo fato dela ser filha de mãe solteira e o pai ser de outra etnia. A informação consta na investigação da Polícia Civil.
A bisavó Kutsamin Kamayura, de 57 anos, está presa desde a semana passada e a avó, Tapoalu Kamayura, de 33 anos, acabou presa na sexta-feira (8). O G1 não localizou o advogado delas.
Avó e bisavó estão presas; polícia diz que elas não aceitavam índia recém-nascida enterrada viva pelo fato dela ser filha de mãe solteira e pai de outra etnia (Foto: Polícia Civil de MT/TV Centro América) Avó e bisavó estão presas; polícia diz que elas não aceitavam índia recém-nascida enterrada viva pelo fato dela ser filha de mãe solteira e pai de outra etnia (Foto: Polícia Civil de MT/TV Centro América)
Avó e bisavó estão presas; polícia diz que elas não aceitavam índia recém-nascida enterrada viva pelo fato dela ser filha de mãe solteira e pai de outra etnia (Foto: Polícia Civil de MT/TV Centro América)
A Polícia Civil diz que pediu a prisão da bisavó e da avó após ouvir testemunhas que falaram sobre a conduta e a participação delas no crime.
A índia recém-nascida sobreviveu depois de ficar seis horas enterrada e foi resgatada por policiais, que registraram o resgate em vídeo (veja logo abaixo).
Tapoalu tinha conhecimento da gravidez da filha, de 15 anos, em razão da adolescente ser solteira e o pai da criança já ter casado com outra indígena e pertencer a outra etnia. Durante a gravidez, ela também ministrou chás abortivos para interromper a gestação, segundo os depoimentos colhidos.
Para a polícia, a mãe da adolescente premeditou e planejou junto com a bisavó. Juntas, elas planejaram o que seria feito com o bebê logo depois do parto.
A bisavó alegou que a criança não chorou após o nascimento, por isso acreditou que estivesse morta e, segundo costume de sua comunidade, enterrou o corpo no quintal, sem acionar os órgãos oficiais.
Entretanto, a investigação descartou o infanticídio praticado por algumas etnias. Tanto a bisavó quanto a avó estão presas na a cadeia pública de Nova Xavantina, a 651 km de Cuiabá.
Em nota enviada ao G1 nesta segunda-feira (11), a Fundação Nacional do Índio (Funai) informou que aguarda a apuração de todos os fatos pelas 'instâncias responsáveis' e acompanha o caso por meio das unidades locais e nacional.
Afirmou ainda que vai 'contribuir', quando solicitada, no âmbito de suas atribuições.
Estado de saúde
A bebê está internada desde quarta-feira (6) em uma Unidade de Terapia Intensiva (UTI) neonatal da Santa Casa de Misericórdia de Cuiabá.
Ela passou por uma cirurgia para passagem de catéter para fazer diálise peritonial, uma vez que apresenta quadro de insuficiência renal.
O último boletim médico, divulgado no domingo (10), mostrou que a menina continuava internada, com sedação e respirava com a ajuda de aparelhos.
Resgate
A Polícia Civil estima que a criança ficou enterrada por seis horas – entre as 14h e 20h de terça-feira em uma cova de 50 centímetros de profundidade.
A menina foi levada às pressas por uma ambulância para o hospital da cidade. Ela recebeu oxigenação e começou a ser atendida na unidade de saúde.

Os médicos descobriram que a recém-nascida teve um afundamento no crânio. O bebê passou por um exame de raio-X que apontou duas fraturas na cabeça.



Saiba mais sobre o Infanticídio Indígena em Terras Brasileiras:

Atini: Uma Voz pela Vida: http://www.atini.org.br/
Carta Aberta do Movimento Indígena: https://youtu.be/mr599OO519g
Casa das Nações: https://youtu.be/lbWd7zm97f0
Contra Decisão Judicial: https://youtu.be/VZ6QqBkqM8I
Download no 4Shared: http://bit.ly/Down4Shared
Download no Dailymotion: http://dai.ly/x2s6s83
Download no Mega: http://bit.ly/DownMega
Hakani, uma Menina Chamada Sorriso: https://youtu.be/dNvN6G0DahA
Infanticídio Aula 1: https://youtu.be/uCsM0bHHFlE
Infanticídio Aula 2: https://youtu.be/B2YYhwlRszg
Infanticídio Aula 3: https://youtu.be/mrzuw6-PBeg
Infanticídio Aula 4: https://youtu.be/PgKQS8JS4ao
Infanticídio Indígena em Tribos Brasileiras: http://bit.ly/Infanticidio7
O Resgate de um Bebê Kamayurá: http://bit.ly/infanticidio9
Presidente da Funai: https://youtu.be/ocOTzQ1oqD0
Quebrando o Silêncio: http://bit.ly/infanticidio3
Tradição em Aldeias Indígenas (Record): http://bit.ly/infanticidio2
Tradição Indígena (Globo): http://bit.ly/infanticidio1
Xingu Investigado: http://bit.ly/infanticidio8

Participe deste Projeto!
Ajude a Construir o Futuro que nós Queremos!

Nenhum comentário: